nada


nada nos prepara para isto. para saber fingir que está tudo bem, que não é o pior ano de sempre, que ir trabalhar todos os dias não custa. e custa. muito. muito, mesmo.

que em algumas casas a inocência nunca existiu. que ter um pequenino a chamar-me nomes dói. muito. porque quero o melhor e não sei fazê-lo existir. porque nem tudo depende de mim. porque as intenções são como castelos nas nuvens. porque posso ser melhor e não sei como.

porque já fugi. meti-me num avião e desapareci. três vezes. só para estar longe, para não estar aqui. para não sentir que isto são todos os dias. de segunda a sexta. que o sábado é mau porque não durmo. que o domingo é pior porque vem antes da segunda. e a contagem crescente angustia-me. não estamos cá para contar para trás. mas andar para a frente? é difícil. muitas vezes.

e umas fotos das fugidas…

nada (1)

 

nada (5)

 

nada (3)

 

nada (2)

 

nada (4)

 

Advertisements

diga lá qualquer coisinha

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s